Conecte-se agora

Saúde

Mais de 20% dos pacientes não compareceram para procedimentos médicos no Cemasas de Maracajá

Publicado

em

Em média, mais de 20% dos pacientes que agendam consultas, exames, entre outros procedimentos médicos, no Cemasas, em Maracajá, não comparecem ao compromisso. Somente no mês de janeiro deste ano foram 240 procedimentos que deixaram de ser realizados, entre eles 146 consultas com médicos especialistas. “O resultado é que alguém, certamente, fica sem atendimento, além de prejudicar o fluxo de trabalho e provocar prejuízo aos recursos da saúde que, historicamente, sempre são insuficientes”, lamenta o diretor de Saúde do município, Diogo Copetti.

 “A maior abstenção é no procedimento que precisa de preparo como colonoscopia, endoscopia digestiva, as biópsias e as punções, por causa do medo que as pessoas têm de sentir dor. Além disso, temos ainda exames de imagens e de laboratórios”, informou. Ele explica que existe a possibilidade de cancelamento. “Se o paciente, por acaso, precisar faltar ao procedimento marcado é só ir ou ligar para a unidade de saúde cancelando. Mas, isso deve ser feito com antecedência para que possamos chamar o próximo da fila”, alertou o diretor.

"

Ainda conforme o diretor de saúde, “As pessoas não têm ideia dos problemas que são gerados; os prestadores de serviço se preparam para atender uma quantidade de procedimentos, contratam funcionários e não realizam uma parte dos exames. Então, eles têm prejuízos financeiros e deixam de querer atender pelo SUS, que só paga o que é realizado. Estamos com muita dificuldade neste sentido, pedimos a compreensão da sociedade”, apelou Diogo.

O diretor de Saúde de Maracajá explica que, em geral, o tempo de espera está relacionado à oferta de especialidades e ao nível de gravidade do paciente, por isso não é possível precisar um tempo médio de espera. As faltas dos pacientes aos agendamentos agravam esta situação e ainda geram desperdício de recursos públicos.

Outro ponto que Copetti salienta é que, as agendas de alguns exames e consultas são pelo Sistema Nacional de Regulação (Sisreg), que é um sistema on-line, criado pelo Ministério da Saúde para o gerenciamento de todo Complexo Regulatório, indo da rede básica à internação hospitalar, visando à humanização dos serviços, maior controle do fluxo e otimização dos recursos.

Para conscientizar os usuários do serviço público de saúde de Maracajá  a utilizarem melhor e evitarem desperdício dos recursos públicos disponíveis, técnicos do Departamento Municipal de Saúde elaboraram um banner, que está afixado nas paredes do Cemasas. A cada mês o banner vai registrar quantos pacientes deixaram de comparecer para procedimentos.

“No caso das consultas marcadas, se a pessoa não tem mais interesse no atendimento, ou sabe que não poderá comparecer, pode comunicar com antecedência e assim permitir que outro paciente seja agendado, porém o cancelamento é raro”, reforça o diretor de Saúde. Todos os pacientes são comunicados sobre o agendamento da consulta e recebem um lembrete em papel com a data, horário e endereço da consulta.

Fonte: Diogo Copetti/Assessoria de Imprensa

Comentários
Propaganda

Crie seu site na ServerPro