Conecte-se agora

Geral

Secretário de Saúde define destino do Hospital Regional de Araranguá

Publicado

em

Processo de transição da gestão do Hospital Regional de Araranguá foi debatido durante a coletiva

O secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, está na região e na manhã desta quinta-feira, dia 30, concedeu uma coletiva de imprensa, no auditório da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, sobre a manutenção do atendimento do Hospital Regional de Araranguá, pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM). Acompanhado de uma equipe técnica e de autoridades da região, Caropreso falou sobre o processo de transição entre a administração da SPDM e uma nova entidade.

Segundo o secretário, na última quinta-feira, dia 23, um dia antes da SPDM anunciar o fechamento do Pronto Socorro do HRA para esta segunda-feira, dia 27, ele e a equipe técnica da Secretaria de Estado da Saúde (SES) haviam se reunido com representantes da SPDM e foram informados de que a organização não tinha mais interesse em continuar com a administração do Hospital Regional, sendo que a motivação seria desequilíbrio financeiro. No entanto, Caropreso se disse surpreendido com o fechamento do Pronto Socorro do HRA na última segunda-feira. “Não foi este o tipo de conversa que tivemos naquela situação”, declarou. Diante da situação, a equipe jurídica da SES e a Procuradoria Geral do Estado tomaram as medidas legais cabíveis e na terça-feira, uma decisão judicial determinou à direção do Hospital Regional, que atividades no Pronto Socorro retornassem imediatamente.
Conforme o secretário, logo após a decisão judicial, a SES iniciou o processo de transição de forma emergencial, com uma equipe em Araranguá, fiscalizando o atendimento no Hospital Regional, até que a transição seja concluída e nova entidade assuma administração da unidade hospitalar. “Iniciamos nossa parte, que é emergenciar uma transição, garantindo o atendimento qualificado para as pessoas, enquanto se troca de organização social”, afirmou Caropreso, salientando que o Estado de Santa Catarina não tem dívidas com a SPDM, referente à administração do HRA.

Em resposta aos questionamentos dos jornalistas, presentes na coletiva, Caropreso esclareceu que a SPDM continua na administração do HRA, até que o Governo do Estado conclua o processo legal de escolha de outra organização social para assumir a gestão do hospital. Caropreso acredita que este processo de transição seja concluído antes do prazo contratual, que é de 120 dias, porém não apontou nome da possível nova gestora.

No que se refere à qualidade de atendimento no HRA, pois chegou até a imprensa à notícia de que faltam medicamentos básicos e materiais de uso diário na unidade, o secretário de Saúde afirmou que a SES irá fiscalizar o atendimento no Hospital Regional. “Nós temos uma preocupação muito grande com a qualidade de atendimento, através de médicos e todo o corpo funcional, equipamentos funcionando adequadamente e insumos hospitalares. Faz parte do contrato de gestão e ainda está em vigor este contrato, agora ainda mais sob liminar judicial, de que o atendimento seja feito adequadamente, isto inclui todas as formas, equipamento, pessoal e insumos, nós vamos cobrar que estes insumos estejam à disposição das pessoas que trabalham no hospital, para serem oferecidos à população”, disse.

De acordo com Caropreso, a SES exigiu da administração do HRA um relatório sobre a situação e se necessário irá remeter o relatório ao Poder Judiciário, para que as devidas cobranças legais sejam feitas.

Continue Lendo
Propaganda

Crie seu site na ServerPro