Conecte-se agora

Política

Vereador solicita implantação de Usina de Asfalto

Publicado

em

Durante a sessão desta quarta, 13, na Câmara de Vereadores de Araranguá, o vereador, Diego Pires, aprovou uma indicação de sua autoria pedido que a administração municipal faça um estudo de viabilidade para instalar uma usina de asfalto própria.

Antes de formular o pedido, o vereador, Diego, visitou a cidade de Meleiro para conhecer o projeto implantado pelo prefeito, Eder Matos, pioneiro na região. Durante a visita que aconteceu na tarde do mesmo dia, foi informado que o asfalto usado na pavimentação das ruas  produzido pela usina municipal gera em torno de 60% de economia no valor da obra. A instalação da usina custou em torno de R$1 milhão. “Uma das maiores demandas do município é a pavimentação de ruas. Seria interessante que em Araranguá tivéssemos o projeto, mais ruas poderiam ser pavimentadas com menos custo”, defendeu. Outros municípios da região também aderiram a ideia, inclusive, em consórcio, Turvo, Jacinto Machado e Timbé do Sul, terão uma usina também.

Outros vereadores também falam da usina 

Ainda durante a sessão, o vereador, Cristiano Tano, aproveitou para relembrar que ano passado foi autor do mesmo pedido encaminhado ao Executivo. “Podemos aproveitar os recursos economizados na Câmara para entrar na história e criarmos a nossa própria usina”, disse. Já o vereador, Jorge Pereira, sugeriu durante a discussão em plenário, que a usina de asfalto seja viabilizada pelo município em consórcio com a Amesc. “Existem outros municípios interessados, então uma saída seria criar uma usina em consórcio com a associação. Já fiz uma solicitação neste sentido”, comentou.

Enquanto isso, o vereador, Paulinho de Souza, explicou que já questionou a administração municipal a respeito do assunto e a informação que teve é que o custo de funcionários para manter a estrutura de uma usina seria alta, e que a ideia já foi estudada pelo prefeito, Mariano Mazzuco. “Caso a usina saísse do papel seria necessário fazer concurso público para contratar um funcionário para cuidar da máquina. Tenho conhecimento de experiências que tiveram problemas com isso. Mas é um caso a ser estudado”, completou.  O vereador, Jair Anastácio, lembrou que esta decisão é de competência do Executivo. “Nosso papel é fiscalizar, entendo que apesar da economia feita por esta casa, a destinação dos recursos não nos cabe. Apesar da proposta ser boa e reconhecer a economia que faria, quem deve decidir é o prefeito, ele tem que ter bom senso”.

Ao final, foi sugerido ao líder do governo na casa, vereador, Marcio Scarsanella, o Tubinho, que uma reunião entre os vereadores e prefeito seja agendada para discutirem o assunto e a viabilidade da usina ser implantada em Araranguá.

Fonte: Morgana Daniel/Assessoria de Imprensa

Facebook

Crie seu site na ServerPro